×

Blog

Faça suas compras de Natal em Juazeiro do Norte

O comércio na cidade é representativo para todo Cariri, mas esse ano com a vinda de novas lojas nacionais você encontrará mais oportunidades para as compras de Natal em Juazeiro do Norte.

O investimento do setor privado e do governo em Juazeiro do Norte está fazendo com que esse final de ano seja um dos melhores nos últimos anos. A alta será apresentada após o fim do período, mas antes mesmo da primeira parcela do 13º estar no bolso do consumidor, o centro comercial e shopping da cidade já está muito movimentado.

Com a inauguração de lojas como Casas Bahia, Samsung, entre outras, e do próprio cinema no Cariri Garden Shopping e dos Boliches (dois abriram na cidade este ano) tem feito com que pessoas de cidades vizinhas tenham mais interesse de vir para fazer as compras de Natal em Juazeiro do Norte.

Os preços, em função da inflação, também estão mais salgados, mas o custo benefício por causa do passeio turístico religioso e maior oportunidade de lazer acaba valendo a pena para quem não é daqui.

O governo colaborou com a abertura do Vapt Vupt que entrega muitos documentos que antes demoravam até 3 meses dependendo da cidade, agora entrega na hora e sem custo nenhum (por enquanto).

Acessos e ruas na parte que concentram os romeiros/visitantes interessados em visitar a Igreja Matriz, Estátua Padre Cícero, Praça Padre Cícero e o Centro dos Romeiros, encontrarão quase tudo reformado até o Natal. Pelo menos é a promessa da prefeitura.

O mais importante é que lojistas, prestadores de serviços, empresários, investidores e o governo estão percebendo que melhorando o atendimento e a variação de atividades de lazer na cidade é possível atrair ainda mais pessoas, provando que a região está cada vez mais preparada para ser uma verdadeira metrópole.

Venha nos visitar, você não irá se arrepender! Deixe seu comentário sobre seus planos para esse Natal em Juazeiro do Norte ou qualquer outra cidade.

Cícero Romão Batista: Quem é ele?

Nascia aos 24 de março de 1844 em Crato, Ceará, o menino que se chamaria Cícero, filho de Joaquim Romão Batista e Joaquina Vicência Romana, batizado pelo Padre Manoel Joaquim Aires do Nascimento em 8 de abril e tendo como padrinhos seu avô paterno Romão José Batista e sua tia Antônia Ferreira Catão

Aos 7 anos, começou a estudar com o professor Rufino de Alcântara Montezuma e fez sua Primeira Comunhão na matriz do Crato. Mas aos 12 anos um fato importante marcaria sua infância Cícero lia muito sobre a vida de São Francisco de Sales decidido fez seu voto de castidade. Já no ano de 1860 foi matriculado em colégio na Paraíba mas lá pouco demorou pois seu pai falece acometido de cólera o obrigando a interromper os estudos. Em dificuldades financeiras Cícero ingressa no seminário da Prainha em Fortaleza.

Aos 30 de novembro de 1870 é ordenado padre e sendo assim retorna ao Crato, sem paróquia preferiu ensinar latim no Colégio Padre Ibiapina. Já se via no Padre grande capacidade de visão a frente de seu tempo.

Com 28 anos, em 1871 celebrava Missa do Galo no pequeno povoado de Juazeiro, causando boa impressão nos habitantes do lugar. Cícero se viu assim atraído  e em alguns meses depois fixava-se com a família naquela localidade. Começava assim toda sua influência em restaurar a harmonia entre as pessoas e surgia os primeiros passos de crescimento, atraindo cada vez mais gente para perto do homem que mudaria toda uma região. Estes com a ajuda de poucas economias melhoram as condições da capelinha de Nossa Senhora das Dores. Hoje a “Mãe das Dores” de todos os seus devotos.

Um fato nada comum aconteceria em ocasião de comunhão pelas mãos do Padre. A hóstia transformada em sangue na boca da Beata Maria de Araújo. Atraindo assim centenas de pessoas logo mais, mas nunca aceito pela igreja que concluiria: Que não houve milagre!  O povo protestava, o Padre fora afastado do ato de celebração. Restaria ali a vida política como meio de que seus ensinamentos não fossem esquecidos. Foi prefeito.

Padre Cícero com toda convicção foi o maior benfeitor de Juazeiro do Norte e figura mais importante em nossa história. Pois foi ele quem nos trouxe o progresso em vários sentidos. Ao morrer no dia 20 de julho de 1934 sendo acompanhado por mais de 70 mil pessoas haviam os que pessimistas balbuciavam que tudo acabaria, enganados estavam por que a cada ano a multidão de romeiros só aumenta para constatar que Juazeiro é e sempre será seu grande milagre como dizia: “Juazeiro foi uma cidade feita por mim. Se Deus em pessoa me botou aqui, só Deus pode me retirar”.

Romaria de Finados

As romarias em Juazeiro do Norte datam de há mais de um século. Todos os anos, milhares de pessoas se deslocam de seus lugares de origem em romaria a nossa cidade, partindo de vários cantos do Nordeste e do Brasil, em direção a Juazeiro do Norte, no Ceará.

No tempo das romarias, a cidade se transforma com a recepção de visitantes em quantidade maior que o dobro de habitantes do município e, ao longo de anos, a vivência desses períodos tem sofrido influência de instituições não religiosas, que atribuem um nicho de mercado turísitico às deambulações romeiras.

É fato que os números impressionam ao longo dos anos. Estimativas apontam que há um fluxo de quinhetos a seiscentos mil romeiros durante a celebração de Finados. Romaria esta que já está sendo realizada na cidade e festejada em função da memória de entes queridos já falecidos e principalmente do fundador da cidade, Padre Cícero Romão Batista.

Um dos pontos mais visitados dessa romaria é a Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em cujo interior estão sepultados os restos mortais do Padre Cícero. Lá os romeiros da Mãe de Deus em orações e cantando benditos se aglomeram e disputam espaço para tocar o túmulo do Padre Cícero. Ultimamente esta romaria foi denominada, Romaria da Esperança, pela forte influência do trabalho dos missionários franciscanos.

Juazeiro do Norte é assim, para o nordestino e romeiro, lugar de renovação de esperanças de sua alma tão brasileira e atribulada de tanto sofrimento, lugar este em que a vela acesa e depositada em meio a tantas outras traga alívio a dor da saudade e onde se procura principalmente à conquista de uma Igreja Apostólica Romana mais enfatizada nas realidades e valores do país e do povo.

Padre Cícero e o encontro com Lampião

O tão almejado encontro entre Padre Cícero e Lampião data de 6 de março de 1926. Este foi veiculado em várias publicações. Ainda assim existe outra versão divulgada no livro Lampião e o Padre Cícero, da escritora Fátima Menezes.

Falando nessa nova versão, o convite para Lampião deu-se pelo tenente Francisco Chagas que lhe devotaria a patente de capitão de seu batalhão. Este por ser destemido e valente lhe chamou atenção. Lampião juntou-se ao grupo de Francisco Chagas e rumou para Juazeiro, isso nos primeiros dias de março de 1926.

Padim ficou paralisado diante de tamanha afronta de Chagas e exclamou: “Como é que vocÊ me faz uma coisa dessas Chagas? Trazer um bandido, um fora da lei para Juazeiro e o pior, usar meu nome para poder atrai-lo. Fique certo, meu camaradinha, que isso vai nos trazer grandes desgostos não só para minha pessoa, como para todo Juazeiro”.

O certo é que mesmo desgostoso com tal situação o Padre foi ao encontro de Lampião e lhe disse: “Virgolino, por que razão você teve a coragem de vir a uma cidade como Juazeiro, tão bem assistida por autoridades civis e militares, sendo você um fora da lei?”

“Meu Padim, eu vim por que me disseram que o sinhô precisava de mim”.

“Lampião, eu sou um sacerdote. Por que iria precisar de você? Eu acho que já é tempo de você mudar de vida. Mas, como meu nome foi usado e você pensou que estava atendendo meu chamado, procure ajeitar seu povo e trate de sair daqui deste local o mais breve possível para um outro alojamento no centro da cidade onde ficará mais seguro, pelo menos até amanhã, quando eu quero que você se retire do Juazeiro”.

Mesmo assim continuava a insistência de Lampião em permanecer na cidade, pois cresceu em sua mente a vontade de tornar-se capitão e este acreditava que Padre Cícero realmente o tinha chamado ao seu encontro o que foi deveras mentira.

A brincadeira dos então amigos do Padre Cícero, Uchôa, Benjamim e Antônio Ferreira acabará por nomear mesmo que com falso título Lampião, capitão, pois este amedrontava a todos com sua fama de “cabra da peste”. E mesmo assim até hoje o Padre leva a fama de ter sido ele que mandou outorgar a patente.

Pesquisadores da UFPE encontram novo fóssil de pterossauro

Cariri reaparece no mapa dos Dinossauros novamente com nova descoberta. Nova espécie trará mais visitantes a região.

Uma equipe de 4 pesquisadores identificaram uma nova espécie de pterossauro no nordeste.

O fóssil encontrado viveu há 111 milhões de anos e será divulgado, na manhã desta quinta-feira (02), em coletiva de imprensa no auditório João Alfredo, na reitoria da UFPE. A descoberta foi publicada em diversas revistas internacionais.

O pterossauro Anhanguera piscator viveu no Brasil há cerca de 110 milhões de anos, no Período Cretáceo, onde hoje se situa a Chapada do Araripe, e onde foi encontrado mais precisamente esse fóssil, localizado nos estados do Ceará e Piauí, a região mais fértil em espécies de pterossauros do mundo. Sua envergadura chegava a 5 metros. Era um predador voador, com um longo focinho, munido de dentes longos e afiados, perfeitos para abocanhar peixes.

São características dos pterossauros: grandes olhos, cérebro avantajado e ossos longos. Conhecidos como “répteis voadores”, foram na verdade arcossauros, assim como as aves e os dinossauros. Mas eles mesmos não eram aves, nem dinossauros voadores. Como não deixaram descendentes, e não tem nada a ver com os répteis de hoje, a ciência não tem segurança em informações sobre seus ancestrais.

A maioria dos esqueletos de pterossauros foi encontrada em rochas depositadas em mares rasos. Associados a algumas dessas ossadas foram encontrados restos do estômago contendo escamas e ossos de peixes. Assim, os pesquisadores paleontólogos entendem que a maioria desses animais viviam nas regiões costeiras e se alimentavam de peixes.

Acredita-se que os pterossauros, até mesmo os maiores, com 15 metros de envergadura, eram capazes de voar batendo as asas. A grande placa que forma o osso externo na frente do peito e a grande crista óssea no primeiro osso do braço, são marcas deixadas pelos poderosos músculos das asas. O pequeno osso com forma de anzol na frente do braço, chamado de pteróide, suportava uma membrana ligada ao pescoço, ampliando ainda mais a área das grandes asas. Mais parecida com asas de morcegos.

Dia de São Cosme e São Damião

Você irá se surpreender com a rica história de vida e santidade dos gêmeos Cosme e Damião

Cosme e Damião eram irmãos gêmeos e cristãos. Na verdade, não se sabe exatamente se eles eram gêmeos. Mas nasceram na Arábia e viveram na Ásia Menor, Oriente.

Desde muito jovens, ambos manifestaram um enorme talento para a medicina. Estudaram e diplomaram-se na Síria, exercendo a profissão de médico com muita competência e dignidade. Não aceitavam receber um centavo pelo serviço prestado.

Os irmãos aproveitavam também para divulgar a fé cristã entre aqueles que se recuperavam das doenças. Inspirados pelo Espírito Santo, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos. Com isso, seus tratamentos e curas a doentes, muitas vezes à beira da morte, eram vistos como verdadeiros milagres.

A riqueza que mais os atraía era fazer de sua arte médica também o seu apostolado para a conversão dos pagãos, o que, a cada dia, conseguiam mais e mais. Isso despertou a ira do imperador Diocleciano, implacável perseguidor do povo cristão.

As perseguições do Imperador Diocleciano, porém, não demoraram a frear a ação benéfica destes “médicos do amor”. Na Ásia Menor, o governador deu ordens imediatas para que os dois médicos cristãos fossem presos, acusados de feitiçaria e de usarem meios diabólicos em suas curas.

Mandou que fossem barbaramente torturados por negarem-se a aceitar os deuses pagãos. Condenados à morte, resistiram milagrosamente a pedradas e flechadas. Em seguida, foram decapitados. O ano não pode ser confirmado, mas com certeza foi no século IV. Os fatos ocorreram em Ciro, cidade vizinha a Antioquia, Síria, onde foram sepultados.

Mais tarde, seus corpos foram trasladados para uma igreja dedicada a eles.

Quando o imperador Justiniano, por volta do ano 530, ficou gravemente enfermo, deu ordens para que se construísse, em Constantinopla, uma grandiosa igreja em honra dos seus protetores. Mas a fama dos dois correu rápida no Ocidente também, a partir de Roma, com a basílica dedicada a eles, construída, a pedido do papa Félix IV, entre 526 e 530. Tal solenidade ocorreu num dia 26 de setembro; assim, passaram a ser festejados nesta data.

Os nomes de são Cosme e são Damião, entretanto, são pronunciados infinitas vezes, todos os dias, no mundo inteiro, porque, a partir do século VI, eles foram incluídos no cânone da missa, fechando o elenco dos mártires citados. Os santos Cosme e Damião são venerados como padroeiros dos médicos, dos farmacêuticos e das faculdades de medicina.

Na festa, é costume distribuir balas e doces para as crianças.

Festa em honra a Nossa Senhora das Dores

Leia e deixe uma mensagem de fé em honra a Nossa Senhora das Dores.

É tempo de ver e sentir a fé de perto na tão calorosa Juazeiro do Norte. A romaria de Nossa Senhora das Dores chega ao seu 11º dia com a cidade repleta de fiéis de todo o Nordeste. E até o dia 15 é esperado mais de 400 mil romeiros. A festa de Nossa Senhora das Dores é momento sublime para o romeiro e é a primeira romaria de todo um ciclo.

Mesmo na romaria de Nossa Senhora das Dores a estátua de Padre Cícero é o local mais visitado.

O ritmo normal da cidade muda, a cidade duplica em número de pessoas. É neste final de semana que os romeiros chegam em sua maioria tornando a cidade palco de fervorosa adoração e peregrinação. A vinda a Juazeiro é sempre motivo de alegria para os romeiros. Estes que enfrentam duras jornadas de viagens sentados em paus de arara desconfortaveis.

A romaria sempre realizada pela Basílica de Nossa Senhora das Dores este ano contará com lançamento do site institucional do Santuário. Este novo meio de divulgação das romarias tem por objetivo reunir as informações necessárias aos milhares de fiéis que todos os anos lotam a cidade em busca da fé renovada e graças alcançadas.

O espaço virtual apresenta modernidade que vem a interagir com as modernas demandas das mídias sociais digitais existentes. Nele estará contido reportagens e notícias da Basílica e como também demais conteúdos e todos eles direcionados ao interesse do romeiro e demais pessoas podendo até mesmo fazer tour virtual pelo Santuário.

O site foi lançado neste dia 11 de setembro por volta das 09h ao final da missa presidida pelo paróco Aureliano de Sousa Gondim. É a Basílica se modernizando em honra aos romeiros da Mãe de Deus. Confira a novidade em: www.maedasdoresjuazeiro.com

Nos acompanhe nessa e deixe sua mensagem de fé para os próximos leitores.

A figura do Romeiro

Olhos cansados, pele enrugada pelo sol, a labuta na roça é pesada e fatigante mas todos os dias é preciso pegar no cabo da enxada e partir para mais uma jornada de trabalho em seu modesto viver. Em sua maioria chamam-se Cícero, Cícera, Maria, José. Constroem no dia a dia a sobrevivência nos sertões pelo Brasil a fora, mais precisamente pelo Nordeste.

Pela manhã na simples sala a imagem do Padre tido por eles santo é adorada com palavras de esperança, pois em breve a visita ao “Padim” no alto do Horto se tornará realidade. A penitência será cumprida e a graça alcançada será agradecida.

O dia se arrasta, o suor pinga, parece que as horas não querem passar, mas mesmo assim há espaço em sua mente para lembrar do bendito e cantarolar mesmo que baixinho por entre o roçado as simples palavras mas de grande valia que o Padre Cícero esinara.

A hora mais aguardada se aproxima, a noite foi mal dormida pois a ansiedade lhe fez rolar na rede sem conseguir descanso algum. Mas o que importa?

Mal o sol desponta no horizonte, e o pau de arara já o espera na porta. É colocada a melhor roupa, o lanche, a água, as orações mal escritas pelas mãos do homem ou mulher tão calejada, as poucas economias. O vai e vem do desconforto do caminhão é vencido com louvores a Mãe das Dores e ao Padre Cícero.

Novamente vem o sol a despontar só que agora no sertão do Cariri e de longe se avista a imagem do Padre no alto da colina. Uma lágrima escorre no rosto do romeiro. A jornada da viagem foi vencida, a chegada foi em paz, seu coração está em paz. O Juazeiro virou realidade e agora nenhum minuto pode ser perdido. Respira-se o Padre Cícero em todos os cidadãos juazeirenses, em toda casa, em cada esquina.

Mestre Espedito Seleiro

Em Nova Olinda Ceará, mais precisamente no Sertão do Cariri, mora uma lenda viva, Seu Espedito Seleiro, mestre do couro. Localizado à Rua Monsenhor Alencar nº190, é lá que ele trabalha desde cedo da manhã, às 4hs ele já está de pé em sua labuta árdua de todos os dias. Homem simples mas com grande fama desde que foi reconhecido em desfiles e vestiu artistas globais com suas peças.

Enquanto o telefone não começa a tocar insistentemente e os turistas não aparecem em sua loja ele aproveita para ficar desenhando, e os vizinhos nem se atrevem a vir tirar uma prosa. O mestre precisa se concentrar, afinal dos desenhos sai sua grande arte. Inspirações essas que ele descreve como “aciganadas e acangaçadas”. Seu trabalho já esteve presente em  desfile de grife internacional e já foi e é exportado para fora do país. O colorido de suas peças é seu carro chefe, encantando pela riqueza de tonalidades.

Sua oficina ainda é mantida por ele e os irmãos que nunca se cansam de trabalhar, todos de cabeça branca mas que carregam em si a paixão pelo ofício que o pai lhes ensinou e que sempre se mantém cheia de encomendas. Afinal as peças são muito bem feitas e de bom gosto. A mesma é reconhecida nacionalmente por conta das rotas turísticas do Ceará.

Mês que vem na cidade de Nova Olinda será inaugurado o museu do couro onde Espedito irá expor suas peças mais brilhantes e as peças de seu pai, mantidas com ele até hoje, ele afirma que se não fizer isso daqui a cem anos ninguém saberá quem ele foi e nem o que seu trabalho representou.

Tranquilidade – Pousada Sombra do Juá

Tranquilidade após um bom passeio turístico e tudo que precisamos não e mesmo?

A Pousada Sombra do Juá busca sempre proporcionar tranquilidade para nossos hospedes, Juazeiro do Norte  é uma terra com muitos atrativos turísticos, e não é difícil, ficar cansado por aqui tentando ver vários atrativos turísticos de uma vez só.

Pra você ter uma noção básica vou citar alguns, Basílica menor Nossa senhora das dores, Capela nossa senhora das dores, Santuário de São Francisco das Chagas, Santuário do Sagrado Coração de Jesus, Casarão do Horto, Museu do Padre Cicero “Padin Ciço”, Teatro Marquise branca, Memorial Padre Cicero, Estatua do Padre Cicero, e muito mais.

As possibilidades em Juazeiro do norte são infinitas, se tratando em pontos turísticos religiosos que são alvo por romeiros essa variedade aumenta, más para quem quer algo mais descontraído, tem o parque aquático, trilhas, arte local, comidas tipicas e varias outras atrações.

A tranquilidade depois de um passeio desse e tudo que poderíamos querer não e mesmo?

Tranquilidade Juazeiro
Tranquilidade Juazeiro

Por isso além de boa estrutura, boa comida, conforto, atendimento diferenciado, nós da Pousada Sombra do Juá, prezamos sua tranquilidade para que depois de um dia cheio de novas descobertas, você possa ter tranquilidade para descansar seu corpo, e sua mente em um de nossos apartamentos personalizados, para seu precioso descanso.

Afinal você precisa aproveitar ao máximo sua vinda para Juazeiro do norte não é  mesmo?

Estamos comprometidos para te oferecer a melhor experiencia em hospedagem, queremos estar presente em sua memoria,  como um bom momento de sua vida, em sua estadia conosco.

Venha conhecer Juazeiro do Norte mais de perto e desfrutar de suas mil e uma maravilhas conosco, conheça nossa estrutura, e desfrute do melhor que Juazeiro pode lhe oferecer, estamos alinhados com o mesmo objetivo, que é construir historias lindas que serão lembradas por muito tempo.