×

Que tal conhecer o Cariri de uma forma diferente?

Que tal conhecer o Cariri de uma forma diferente?

“Conhecer a região sobre duas rodas vem se destacando entre as opções escolhidas pelos turistas”

Já pensou em passear de bicicleta entre as paisagens naturais da Floresta Nacional do Araripe ou pelos municípios do Geopark na região do Cariri? Se não, acho que deve ser pensado.
dsc_0489Essas experiências tornaram-se propostas de empresas que tendem apresentar aos turistas a região de uma forma diferente. Apesar de ter sido criada este ano, já havia um grupo de ciclistas que se reuniam com o objetivo de realizar atividades ligadas á ecologia e ao uso de bicicleta tendo a Floresta Nacional do Araripe como território de atuação desde 1996.

Foi no ano de 2010 que o projeto Eco Bikers começou a ganhar ares de negócio. Sua criação teve como finalidade ajudar a preencher uma lacuna da região na área de receptivos turísticos. E mesmo com a empresa sendo lançada de forma oficial recentemente, a procura já tem sido grande, principalmente vinda dos estados vizinhos ao Ceará.

Rotas

Atualmente os passeios são organizados em três rotas. Sendo a maior procura pela trilha da Floresta Nacional do Araripe, onde o roteiro principal tem cerca de 50 quilômetros, que podem ser reduzidos ou estendidos de acordo com o cliente.

A outra rota é a Trilha de Gonzagão, onde os ciclistas saem do Crato e percorre até o município de Exu, em Pernambuco, para uma visita ao Museu de Luiz Gonzaga (um dos mais importantes representantes da música popular brasileira. Conhecido como o Rei do Baião). A trilha tem 65 quilômetros e os viajantes podem optar em pernoitar na cidade, e voltar de carro ou bike.

Já uma das principais rotas criadas pelo grupo é a Ciclotur, que percorre 280 quilômetros no território do Geopark Araripe. A trilha passa pelos municípios do Crato, Nova Olinda, Santana do Cariri, Barbalha, Missão Velha e Juazeiro do Norte, permitindo dessa forma, conhecer a riqueza paleontológica da região. Tal passeio dura em torno de cinco dias, com quatro pernoites. Porém, pode ser reduzido se o visitante quiser conhecer apenas alguns dos geossítios.

A busca para essa prática de turismo tem crescido, afinal, aqui o turista pode conhecer a natureza e paleontologia da região enquanto se “exercita sem esforço”.

Deixe uma resposta

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *

*